Alimentação no domicílio cresce; saiba como mapear e tomar ações

10/09/2020

A alta do dólar, gerada pela situação sem precedentes na economia do País, fez com que muitos produtores de alimentos básicos à população priorizassem a exportação. 

A consequência desse movimento foi a escassez de diversos produtos comuns à mesa do brasileiro, causando elevação do preço nas gôndolas dos supermercados nas últimas semanas.

alimentacao-domicilio

O consumidor sente bastante no bolso, mas o fato é que, mesmo assim, a alimentação dentro dos lares cresceu. E não foi somente no período da pandemia. 

Segundo dados divulgados no fim de agosto pela Pesquisa de Orçamentos Familiares (POF), do IBGE, com levantamento entre 2017 e 2018, apenas 36,5% das famílias disseram ter o costume de comer fora de casa.

É um decréscimo de quase 4 pontos percentuais, se comparado à última análise da POF, com 40,2%, realizada entre 2008 e 2009.

Outra informação que vai ao encontro do estudo do IBGE vem da FecomercioSP. 

A chamada “Cesta Pandemia” revelou que Alimentação no Domicílio foi a categoria que mais teve alta (11,11%) entre as cinco analisadas, comparando o consumo de agosto deste ano com o de 2019.

O fato é que há muitas oportunidades, principalmente para as indústrias de bens de consumo. Mas onde estão, dependendo do tipo de marca, categoria e produto ofertado? É isso que você vai conhecer a seguir.

Nova call to action

Descubra o potencial para categorias específicas

Uma das formas de compreender qual é o potencial de consumo do brasileiro para o que sua empresa oferece é analisando o que muitos chamam de share of wallet

Ou seja, quanto as famílias apontam estarem dispostas a consumir de determinadas categorias em relação à sua renda.

Na Geofusion, oferecemos a informação do poder de compra anual dos domicílios, também com base nos dados do IBGE. O diferencial é poder cruzá-la com centenas de fontes oficiais, públicas e privadas, sobre população e empresas.

Nosso software na nuvem, OnMaps, permite a extração de relatórios de cada pedaço do Brasil, de mesorregião a trechos de rua, por meio de uma metodologia exclusiva de georreferenciamento. Assim, você consiga avaliar suas localidades de maior interesse comercial.

Abaixo, confira um recorte da cidade de Ribeirão Pires (SP), com os detalhes das subcategorias atreladas:

potencial-consumo-categorias

Este foi um exemplo da categoria “Alimentação no Domicílio” e suas subcategorias, que correspondem a quase 10% da propensão de gastos durante 1 ano em Ribeirão Preto. 

Na ferramenta, você pode ter acesso a mais de 90 categorias e subcategorias, entre produtos e serviços, até o detalhe de quarteirão.

A ideia é que você consiga descobrir onde existe mais chances da sua marca ter uma boa performance e abordar os estabelecimentos comerciais com maior número de domicílios no entorno aptos a comprar seus produtos. 

Relacione alimentação no domicílio à classe social

Descobrir locais com potencial de consumo para os produtos que a sua empresa vende ao varejo é fundamental para melhorar tanto sell in quanto sell out

E falando especificamente em sell out, para que as mercadorias tenham bom giro no comércio varejista, uma ótima estratégia é compreender não só os números de consumo de determinadas categorias, como também relacioná-los às classes sociais.

Sabendo quem é o público-alvo ou até mesmo a persona de determinados produtos, os relatórios do OnMaps poderão te ajudar a compreender quando as classes sociais, sejam inserida em um município, bairro ou trecho de rua, têm de fato para gastar.

A seguir, você confere um exemplo da propensão de gastos com a categoria “Leites e derivados” no bairro de Ponta Verde, em Maceió (AL). Ao todo, são mais de R$ 16 mi para a categoria, com valor fracionado por classe social:

renda-potencial-consumo

Compreende-se, portanto, que a classe B1 é a que mais consome leites e derivados no bairro, seguida pela A. 

Essa informação pode ser um bom insight para indústrias de leites, iogurtes e queijos, por exemplo, na hora de ofertar o mix de produtos adequado aos PDVs da localidade.

Visualize em mapas as melhores oportunidades

Todas as mudanças impostas pela pandemia na dinâmica de consumo fez com que as pessoas se deslocassem menos para compras de alimentos para o lar, preferindo mercadinhos de bairro não só pela proximidade, como também para evitar aglomerações. 

Esse contexto é um ótimo exemplo de por que visualizar as oportunidades em mapas é vantajoso e diferencial para as estratégias comerciais. 

No OnMaps, você pode verificar espacialmente todos os fatores geográficos possíveis a se considerar: o próprio potencial de consumo, presença do público-alvo, PDVs já atendidos pela força de vendas, PDVs ainda não positivados, além de territórios de vendedores e distribuidores.

Abaixo, uma situação fictícia no centro da cidade de Campo Grande (MS), na qual os pontos em verde são minimercados e a camada em tons de laranja representa o potencial de consumo da classe C para “Enlatados e conservas”.

mapa-consumo

É possível concluir pelo mapa que o time comercial de uma indústria de enlatados poderia priorizar a venda e oferecer um mix de produtos mais direcionado para os PDVs inseridos nos tons mais escuros.

Essas foram somente algumas das maneiras de compreender o potencial do seu mercado, por meio do OnMaps. Quer saber mais? Entre em contato com um de nossos especialistas ou baixe o kit de materiais gratuitos para indústrias, clicando no banner abaixo.

Nova call to action

Por Caio Sanchez / Editor

Comentários

Ebooks

Materiais mais baixados

  • [EBOOK] 6 Fatores de Sucesso para Abertura de Novas Lojas Baixe grátis
  • [EBOOK] As Principais Soluções de Geomarketing Para Expansão de Redes Baixe grátis
  • [TOP 50] Os Municípios com Maior Potencial de Consumo Baixe grátis
  • [QUIZ] Você sabe o que considerar na escolha do ponto comercial ideal? Baixe grátis

Acompanhe a Geofusion

Assine nosso blog e receba o melhor conteúdo sobre Geomarketing