Entenda o que é Same Store Sales e seus benefícios para o varejo

same-store-sales-1

O Same Store Sales é um importante indicador para entender a performance no varejo, especialmente para empresas que possuem número significativo de unidades.

Este termo significa, em português, “vendas nas mesmas lojas”. Ou seja, é uma métrica utilizada para entender de forma mais precisa o quanto elas aumentaram nos estabelecimentos analisados em relação ao período anterior. 

Este dado também é interessante para compreender se os resultados obtidos no faturamento ocorrem de forma mais distribuída ou concentrada.

Veja abaixo como isso pode te ajudar a entender melhor o negócio e, assim, saber onde deve alocar investimentos e recursos para as regiões de atuação da sua rede.

Aplicações do Same Store Sales

Quando um gestor analisa a receita da empresa de modo geral, ele pode, a princípio, ter uma grande alegria - ou decepção. As informações totais por vezes levam a crer que aquela visão panorâmica é uma representação fiel da saúde do negócio.

Mas, ao olhar com mais atenção, observando as minúcias que compõem este dado, passa a perceber que nem sempre ele corresponde a todas as partes.

Uma única loja, ou um determinado grupo de lojas, podem ser o que está puxando os números, seja para cima, seja para baixo. Por conta disso, análises de indicadores como o Same Store Sales, também chamados de SSS, são pertinentes para evitar ilusões.

New call-to-action

Como funciona o indicador

Para realizar este tipo de estudo, o profissional geralmente escolhe um determinado período no ano e o compara com o anterior. Isso é bastante comum para observação de vendas sazonais, como nos Dia dos Namorados ou Dia das Mães.

Outra possibilidade consiste também em selecionar “fatias” do ano para fazer a análise. Por exemplo, considerando resultados trimestrais, quadrimestrais, etc. O critério de escolha varia conforme o que melhor convier e de acordo com a atuação da empresa.

same-store-sales-2

Para varejistas que atuam com produtos mais sensíveis às oscilações nas datas comemorativas, compará-los ano a ano pode ser mais interessante. É a situação do segmento de moda, por ser muito procurado na sazonalidade.

Bens duráveis, como automóveis, nem sempre demandam análises em escala tão reduzida, a não ser que ocorram ações específicas, ou algo similar. Afinal, geralmente as variações se relacionam a mudanças econômicas mais amplas.

Entretanto, os indicadores não se restringem apenas a esses segmentos e períodos. Mudanças de comportamento do consumidor podem aparecer a qualquer momento, pelas mais diferentes influências, tanto externas quanto internas.

Inteligência geográfica e SSS

O Same Store Sales, por si só, é uma métrica que permite compreender as lojas onde ocorrem as melhores e piores performances ou até mesmo canibalizações. Isto é, quando uma unidade rouba os clientes de outra pertencente à mesma rede varejista.

Em conjunto com dados de inteligência, a análise se torna uma precisa e profunda compreensão do mercado, funcionando como uma bússola para as ações.

same-store-sales-3

Afinal, possibilita avaliar a correspondência dessas informações com diversos fatores, como o potencial de consumo do entorno, a renda da população, entre muitos outros.

Com ferramentas de inteligência geográfica, é possível inclusive importar uma base das unidades e visualizar como esses fatores se relacionam entre si em âmbito local.

Assim, em cenários nos quais existe a necessidade de decidir onde abrir lojas, onde fechar, ou mesmo como alocar funcionários e produtos, o processo fica mais fácil e seguro.

Isso serve apenas para o offline?

Embora essa métrica seja usada principalmente no contexto de lojas físicas, ela é útil também para pensar no mercado digital. E o período de isolamento social é um bom exemplo disso.

same-store-sales-4

Com o fechamento dos estabelecimentos, o e-commerce virou uma rota de fuga para muitas empresas. Em meio a esse cenário, as mais adaptadas a estratégias online, como marketing digital e omnichannel, conseguiram se sobressair.

Outras decidiram se reinventar, como os shopping centers que se tornaram drive-thru durante o período.

Segundo estudo publicado pela Compre & Confie, rede que avalia a satisfação dos consumidores, isso influenciou no fato do Dia dos Namorados de 2020 ter obtido crescimento de 116% no faturamento do e-commerce.

O resultado foi descoberto por meio de uma análise muito similar à do Same Store Sales: comparando as compras do ano em questão com as do anterior, só que aplicada ao consumo online.

Outro dado apontado pelo estudo foi que a taxa de recompra correspondeu a 21%. Ou seja, esta é a quantidade de pessoas que consumiram da mesma loja que o ano anterior no Dia dos Namorados.

same-store-sales-5

A análise divulgada pela Compre & Confie serve de base para entender como informações digitais podem ser utilizadas para entender o comportamento offline.

Mas além de se orientar por estudos de mercado, o profissional também pode estudar o próprio nicho de atuação.

Isso permite compreender, portanto, não apenas as respostas em meio a um cenário específico, como o do isolamento, e sim qualquer outro em que se precise de soluções para expandir ou entender a performance das operações.

Essas informações têm grandes impactos em cenários sensíveis, como o da retomada do mercado após a pandemia. Mas também abrem opções para vários outros desbravamentos. Quer saber mais a respeito? Então confira este nosso material exclusivo:

New call-to-action

Por Victor Melo / Redator Web
Categoria Varejo

Comentários

Ebooks

Materiais mais baixados

  • [EBOOK] 6 Fatores de Sucesso para Abertura de Novas Lojas Baixe grátis
  • [EBOOK] As Principais Soluções de Geomarketing Para Expansão de Redes Baixe grátis
  • [TOP 50] Os Municípios com Maior Potencial de Consumo Baixe grátis
  • [QUIZ] Você sabe o que considerar na escolha do ponto comercial ideal? Baixe grátis

Acompanhe a Geofusion

Assine nosso blog e receba o melhor conteúdo sobre Geomarketing